bolinha Notícia

Guarani estuda entrar na Justiça contra o Corinthians e Paulistão pode parar nos tribunais

Guarani estuda entrar na Justiça contra o Corinthians e Paulistão pode parar nos tribunais

Horário Publicado 28/07/2020

O Guarani não conseguiu se classificar para a segunda fase do Campeonato Paulista na disputa direta com o Corinthians, que acabou levando a melhor. A situação, no entanto, pode parar nos tribunais.

A equipe de Campinas estuda entrar na Justiça contra o clube da capital por conta de Matheus Davó. A contratação do jogador, feita no início do ano, foi declarada irregular pela 9ª Vara Cível de Campinas.

Mesmo assim, o Corinthians relacionou o atleta para a partida contra o Palmeiras e contra o Oeste. Nesta segunda, Davó chegou a entrar em campo nos minutos finais.

Em sua defesa, o alvinegro afirma que o jogador continua registrado no BID da CBF e, portanto, possui condições de atuar. 

Pesa contra o Corinthians o entendimento de especialistas no assunto que afirmam que o boletim da CBF não tem validade contra uma decisão da justiça.

ENTENDA O CASO DAVÓ

A contratação do atacante Matheus Davó feita pelo Corinthians no começo deste ano está em xeque depois de um juiz da 9ª Vara Cível de Campinas apontar fraude nos trâmites entre o clube alvinegro e o Guarani.
Segundo o juiz Francisco José Blanco Magdalena, o Corinthians tinha conhecimento sobre a penhora dos direitos econômicos de Davó. Apesar disso, o clube alvinegro consolidou a compra de cerca de 60% dos direitos do jogador de 20 anos, que é agenciado pela Elenko Sports, do empresário Fernando Garcia.
E quem é Fernando Garcia? Ele é irmão de Paulo Garcia, dono da Kalunga e um dos candidatos a presidir o Corinthians nas próximas eleições.
Tem mais:
Davó passou a ser agenciado por Fernando Garcia após o empresário adquirir 60% dos direitos econômicos do jogador no final de 2019 por R$ 700 mil. Detalhe: meses depois, o Corinthians comprou esses 60% de Fernando Garcia por R$ 2 milhões.
Toda essa história foi descoberta após uma empresa de consultoria, a RDRN Participações e Empreendimentos LTDA, entrar na justiça contra o Guarani por uma dívida de R$ 35 mil.
A empresa aproveitou que o clube de Campinas vendeu Davó e estava com dinheiro em caixa para pedir o que a dívida fosse quitada.
Outro detalhe “curioso” de toda essa história:
Com o processo movido pela RDRN, a justiça resolveu investigar a venda de Davó e descobriu que nenhum dinheiro envolvendo a negociação foi parar nas contas do Guarani.

bolinha Últimas Notícias